O FIM DO MUNDO EM 2060?

 

O fim do mundo será em 2060? Ou será em 2029? Ou será em 2012? Isso é tão certo como foi nas diversas datas que já foram marcadas. No passado até se justificava acreditar no fim do mundo previsto, uma época em que a informação era muito lenta.  Mas depois da criação da internet e da globalização da comunicação, tudo está tão divulgado, que não se justifica alguém acreditar nas previsões.  Todavia, ainda há milhões acreditando.  Até quando acreditarão?

 

20 junho, 2007 - 08:24h Délcio Rocha

O físico britânico Isaac Newton, descobridor da lei da gravidade, previu que o fim mundo chegará em 2060, segundo uma exposição inaugurada nesta segunda-feira (18) na Universidade Hebraica de Jerusalém.

A exposição revela novos documentos sobre o trabalho e as investigações do cientista, que viveu entre 1642 e 1727. Além da física e da alquimia, sabe-se há tempos que Newton estudou profecias apocalípticas escritas na Antigüidade.

"Newton se esforçou para decifrar o que ele considerava conhecimentos secretos, conhecimentos codificados nas escrituras sagradas de culturas antigas e de outros arquivos históricos", diz a filósofa Yamima Ben Menahem, curadora da exposição, em comunicado.

Entre os manuscritos do cientista, há um no qual ele tenta calcular o fim do mundo segundo o livro do profeta Daniel, no Antigo Testamento, e chega à conclusão de que ele acontecerá no ano 2060. Cuidadoso, o físico escreveu que não era possível ter 100% de certeza a esse respeito. "Pode acontecer mais tarde, mas não vejo motivo para que aconteça mais cedo" com base no livro de Daniel, afirma Newton.

Os documentos da exposição "Os segredos de Newton" pertencem à Biblioteca Nacional de Israel, situada no campus de ciências da Universidade Hebraica. Chegaram lá em 1969, doados pelo filantropo judeu Abraham Shalom Yehuda, que os tinha comprado em 1936 em um leilão em Londres.

"Newton abordou esses estudos com a mesma meticulosidade demonstrada em seu trabalho como cientista", diz Menahem. "Os tesouros dessa mostra nos convidam a repensar dicotomias tradicionais como antigüidade e modernidade, ciência e religião, racionalidade e irracionalidade."

(Fonte: Globo Online" <http://www.ambienteemfoco.com.br/?p=4636>)

 

No tempo Isaac Newton, poder-se-ia entender um cientista usando a Bíblia e acreditando estar prevendo o fim do mundo.   Mas hoje?!  Quantos fins do mundo já foram marcados?  No chamado velho testamento não se fala em fim do mundo.  A lenda diz que Yavé destruíra o mundo em passado um pouco remoto, mas jamais voltaria a destruí-lo.  As previsões eram do estabelecimento de um reino eterno dos judeus, que dominaria sobre todas as nações.   Foram os autores do Novo Testamento que começaram a falar em fim do mundo através de fogo e um reino sobrenatural de um judeu crucificado que teria ressuscitado e retornaria para levar seus escolhidos para um reino dos céus.   Mas esse fim seria tão rápido, que o maior arauto do Cristianismo pensavam que iria presenciar o retorno de Jesus e o estabelecimento desse reino (I Coríntios, 15: 51-52).    O incrível é que, depois de dois mil anos de engano, não tendo as novas gerações suporte lógico para continuar acreditando nessas coisa, essas idéias ainda proliferam pelo mundo.